O que ouvi depois que cortei meu cabelo

1798671_560670137399265_1894031568778942414_n

     Há alguns dias postei essa imagem lá na fanpage do blog e desde então venho pensando em fazer um post respondendo essas frases que muitas de nós ouvimos após o Big Chop. Fiquei pensando sobre cada uma delas e me perguntando porque as pessoas gostam tanto de meter a colher onde não foram chamadas. Por que é tão irresistível darem opiniões quando não foram questionadas? E até que ponto não permitimos esse tipo de comportamento? Até que ponto nossas palavras dizem que não precisam de aprovação alheia e ao mesmo tempo esperamos por essa aprovação? Somos seres complexos e nossa cultura latina-americana-patriarcal-brasileira não contribui para que sejamos menos encucadas com coisas que deveriam ser menores – a opinião alheia e não nossos cabelos. Rsss. Minha pergunta ainda é: até quando?? Até quando seremos alvos de nossa insegurança e vontade de agradar?? Em menor ou em maior grau, a verdade é essa e tudo gira em torno do ser aceito pelo grupo social ao cada um pertence.

     Com essas questões pretendo fazer com que reflitam a respeito e se armem melhor – intimamente – com o que ainda poderá vir ou pelo que já veio. Então vamos lá aos tópicos….

1) Tirou sua feminilidade

     A sua feminilidade está no cabelo?? Porque a minha não!! Também não está, necessariamente, inclusa em nenhum pacote de cabelo + brinco + maquiagem. Feminilidade está em toda e qualquer pessoa que se veja dessa forma, que queira ser feminina. É um jeito de ser, de olhar, de se portar. É isso!!! É uma postura!!!

     Nos reduzir a cabelo é uma tremenda ignorância. No caso específico da mulher, é um reducionismo de nos jogarem no limbo machista de nossa sociedade. Caber na caixa de uma vida que alguém traçou pra gente.

     Sinceramente, não quero!!

     Tirando todo o peso de nossa sociedade vamos pensar….cabelo curto é tão lindo. Cacheado, liso ou ondulado. A pessoa pode optar em não querer cabelo curto porque não gosta ou por qualquer outro motivo, mas deve ser uma opinião pessoal e não algo ditado por alguém. Fazer o BC é uma atitude que deve ser pensada e esperar a aprovação das pessoas próximas deve estar no pacote de coisas a serem refletidas (até que ponto essa aprovação é importante para vocês).

     Então, vamos dar um chega pra lá em quem acha que cabelo curto tira a feminilidade de alguém. Não tira!!!

2) Não precisava porque era bom (o cabelo)

     Ai, gente, esse papo de cabelo bom e cabelo ruim já foi, né?? Ou já deveria ter ido. Isso cansa demais. Tem sido veiculado na última semana uma chamada do programa global “Chapa Quente” em que a personagem da Ingrid Guimarães briga com a outra personagem e um dos “xingamentos” é “cabelo ruim”. Imagino que não deva ter sido escrito por mal, deve ter sido para fazer aquele humor “chacota” que tanto odeio, mas talvez sem a intenção do preconceito propriamente. Sei de tudo isso, mas é tão desnecessário e é preconceito… Até quando ressaltar o cabelo crespo/cacheado de forma pejorativa em tom de humor acontecerá e teremos que engolir?? Esperar o que dos meios de comunicação se eles são reflexos da nossa sociedade? É apenas uma forma de reforçar o racismo arraigado de nossa sociedade onde divide as pessoas. Cansou!!!

3) Vai demorar muito para crescer

     Depende de vários fatores. Estão se alimentando e se hidratando bem?? Antes de tudo, cabelo cresce de dentro para fora. A combinação de boas rotinas alimentares ajudam no crescimento mais acelerado. Depois devemos considerar os cuidados externos com nossos cabelos.

     Mas, principalmente, quero destacar o fator para o cabelo demorar a crescer: a ansiedade. Ele não crescerá de um dia para o outro, mas crescerá e está crescendo todos os dias. No cabelo cacheado/crespo é mais difícil vermos mudanças rápidas. Todo o cabelo vira cachos e reduzem de tamanho. Se conseguirem lidar com a própria ansiedade e deixar de lado a expectativa dos outros logo terão lindos fios longos – se assim o quiserem. A pressão dos outros é para que voltem a ser o que estavam acostumados. São imagens que têm de vocês. Valem mais essas imagens ou as realizações que trarão a vocês?? Portanto, digo pela milésima vez para não se aventurarem em produtos e combinações que escutam por aí. Seguir o ritmo natural do rio, muitas vezes, é bom também. E vou contar um segredo (podem espalhá-lo também): cabelos crescem. Mais rapidamente ou menos, mas crescem. É a lei evolutiva da vida!!

4) Não vai poder fazer nenhum penteado

     Isso, infelizmente, em muitos casos pode ser uma verdade. Dependendo do quanto corte o cabelo será difícil fazer algo diferente. Mais uma ponderação a fazer antes de cortá-lo. Mas tudo isso dependerá de cada uma. Eu, por exemplo, não sou a rainha dos penteados. Nunca fui. Tenho preguiça mesmo. Prendo com uma presilha básica, coloco um arco e pronto. Tanto com o cabelo comprido, quanto com ele curto. Na hora de ir a uma festa simplesmente usava ele solto ou fazia um rabo de cavalo alto, bem bonito. Mas se desejarem cabelos curtos para mudar o visual ou fazer o BC, sigam em frente. Temos várias revistas e dicas na internet de penteados para todos os tipos de cabelo. A criatividade também é válida. Inventar penteados será super bem-vindo.

5) Se fosse minha namorada/esposa eu não deixaria

     Esse é o item que mais me deixa indignada quando ouço relatos sobre o pós-BC. Muitas mulheres passam a ter dificuldades no relacionamento quando cortam os cabelos curtinhos. Nesse ponto preciso falar de alguns pontos que me incomodam.

      O primeiro deles é sobre o padrão-machista-brasileiro que já mencionei lá no início. Como assim não deixaria que a namorada/esposa cortasse o cabelo?? Claro que a figura feminina tende a querer agradar o parceiro, mas pensem bem até que ponto alimentam esse comportamento. Esses homens são seus parceiros ou são seus donos??

      Em segundo lugar, casamento/namoro é uma parceria, como já disse. Um deveria apoiar o outro nas decisões individuais. E ponto. Não vejo muito espaço para argumentar nesse quesito. Quem terá que lidar com o cabelo serão vocês. Posicionar-se nesse momento se faz importante. Uma concessão dessa viria seguida de mais quantas outras?? Estamos em 2015!! Não esqueçam!!

     Em terceiro lugar – mesmo não esgotando o assunto, mas sem querer me prolongar de mais – sejamos donas de nossas vontades sempre e acima de todos. Somos mulheres donas de nossas vontades. Devemos saber o que é melhor para nossas vidas.

      O que quis com este post não foi dar respostas para essas afirmações, mas dar ferramentas de reflexão para que tenham formas de driblar um pensamento coletivo. Quando temos certeza do que queremos essas frases nos atingem de forma diferente ou nem atingem. Não achem normal ouvirem esse tipo de afirmações. Só mostram um desrespeito com a nossa opinião e atitudes. E a arma para a falta de respeito é o nosso fortalecimento pessoal.

Share

2 comentários em “O que ouvi depois que cortei meu cabelo

  • 28/03/2016 em 11:00 pm
    Permalink

    olá Paula, gostei do seu post! Tenho cabelo cacheado (não crespo) que sempre foi comprido até os 19 anos quando um dia de saco cheio da cara de sempre mandei cortar e ouvi de todo mundo essas besteiradas, e olha que nem ficou tão curto, acima do ombro. Achei ridícula a reação das colegas na faculdade que foram mais criticas que os homens. Depois ele cresceu, tava grandão na cintura, passei a tesoura novamente. Já estava no doutorado convivendo com mulheres mais maduras, que elogiaram o corte, disseram que ficou lindo, mas ainda falaram em “coragem” com se eu tivesse feito uma coisa muito arriscada. Cresceu de novo e cortei de novo, mantive curto durante uns 5 anos, agora to deixando crescer e quando tiver enorme vou cortar de novo. E depois de conhecer várias mulheres que tiveram câncer e perderam os cabelos durante o tratamento eu me recuso mais ainda a ser reduzida como pessoa a uma parte do meu corpo. Sinto pelas mulheres que acham que sua feminilidade está no cabelo, nas unhas, no batom ou nos seios. Eu não quero ser pedaço, eu sou todo. E sinto mais ainda pelas que não tem parceiros, mas “donos” que elas temem desagradar. O meu nunca reclamou, para ele meu cabelo está sempre bonito, curto ou comprido. Parabéns pelo blog!

    • 05/04/2016 em 1:46 am
      Permalink

      Que lindo! Adorei o seu relato. Como podemos ser mulheres independentes e livres se continuarmos “reféns” das opiniões alheias, principalmente as masculinas? Somos um todo, assim como falou. Fico feliz cada vez que encontro mulheres que pensam como eu, mas não por querer só pessoas com pensamentos iguais, mas por querer ver mulheres autônomas. Obrigada pelos elogios. Bjs!!!

Os comentários estão desativados.

error: Content is protected !!